Administração da Agencia Nacional de Água e Saneamento (ANAS) de Cabo Verde em conferência de Imprensa:

“A situação atual do país se caracteriza por uma crise hídrica sem precedentes”

Presidente do Conselho de Administração da ANAS, Miguel Ângelo da Moura, e novo Concelho de Administração da ANAS integrado por Antonio Pedro Pina e Inácio Pereira.

Cidade da Praia, 12 de fevereiro – O presidente do Conselho de Administração da ANAS considerou hoje que a situação atual do país se caracteriza por uma crise hídrica sem precedentes, com a consequente redução significativa da disponibilidade de água e um acentuado decréscimo na capacidade de armazenamento subterrânea.

“As reservas de água encontram-se muito próximas do seu limite de exploração. Prova disso é que os volumes de água nos principais reservatórios (Poilão, Faveta, Saquinho, Canto Cagarra, Figueira Gorda e Flamengos), estão muito abaixo dos valores habituais para o presente período do ano”, explicou Miguel Ângelo da Moura, acrescentando ainda os caudais que alimentam os principais aquíferos, furos, poços e nascentes foram extremamente insuficientes, em comparação os caudais historicamente registados.

Medidas em curso

Para minimizar os impactos da escassez hídrica, o Governo, com a execução da ANAS, irá implementar um conjunto de ações nomeadamente o reforço da adução e da distribuição de água, o aumento da disponibilidade de água para a agricultura e a restrição ao o uso da água.

Serão lançados, esta semana, concursos públicos, com vista à seleção de empresas para a construção e reabilitação de reservatórios; condutas; poços; nascentes e galerias; assim como, empresas para o fornecimento de bombas submersíveis, motores elétricos, painéis solares e máquinas móveis de dessalinização de águas salobras.

Fonte: Agência Nacional de Água e Saneamento

Recommend
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • LinkedIN
  • Pinterest
Share
Tagged in